Informação sobre labirintite, causas, sintomas e tratamento de labirintite. descrevendo os diversos tipos de labirintite, como labirintite aguda, crônica e esclerosante, com propostas de tratamento natural, médico e alternativo, assim como dicas de uma alimentação adequada de modo a prevenir e evitar labirintite.


Labirintite e neurite vestibular

Na neurite vestibular, tontura é atribuída a uma infeção viral do nervo vestibular. O nervo vestibular carrega informações no ouvido interno, sobre o movimento da cabeça. Quando um dos dois nervos vestibulares está infetado, existe um desequilíbrio entre os dois lados, e aparece a vertigem. Neuronite Vestibular é outro termo que é usado para a mesma síndrome clínica. Os vários termos para a mesma síndrome clínica provavelmente refletem nossa falta de habilidade para localizar o local da lesão. O termo "neurite" implica dano ao nervo, e "neuronite', danos nos neurónios sensoriais do gânglio vestibular. Existe realmente evidência para ambos. Existe também alguma evidência de danos virais para o núcleo do tronco cerebral vestibular (Arbusow et al, 2000), um segundo potencial de "neuronite". Como os neurônios vestibulares são distintos de neurônios cocleares no tronco cerebral, esta localização (bem como o gânglio vestibular) faz mais sentido do que o nervo em pessoas sem sintomas auditivos, no entanto, se o nervo estiver envolvido depois que se separa do nervo coclear, neurite ainda será um mecanismo razoável. Em neurite vestibular, o vírus que causa a infeção é considerado geralmente um membro da família do herpes, o mesmo grupo que provoca feridas na boca, bem como uma variedade de outras doenças (Arbusow et al, 2000). No entanto existe alguma controvérsia sobre esta ideia, já que existe pouca evidência direta para a infeção pelo Herpes (Matsuo, 1986). Pensa-se também que uma síndrome semelhante indistinguível da neurite vestibular pode ser causada por uma perda de fluxo de sangue para o sistema vestibular (Fischer, 1967). No entanto, o presente pensamento diz que a inflamação, presumivelmente viral, é muito mais comum do que a perda de fluxo sanguíneo. Existem no entanto especialistas que discordam (Fattori et al., 2003).
Em labirintite, pensa-se que geralmente os vírus causam a infeção, mas raramente labirintite pode ser o resultado de uma infeção bacteriana do ouvido médio. Embora existam várias definições diferentes de neurite vestibular na literatura, com quantidades variáveis de vertigem e sintomas auditivos, usaremos a definição de Silvoniemi (1988), que afirmou que a síndrome de neurite vestibular está confinada ao sistema vestibular). Na neurite vestibular, por definição, a audição é afetada. Em labirintite, a audição pode ser reduzida ou distorcida em conjunto com vertigem.
Estas definições têm falhas, que dependem de achados clínicos e implicam localização anatómica, o que nem sempre é verdade. Recentemente, houve evidências de que alguns pacientes com a síndrome clínica de "neurite vestibular", anatomicamente podem ter lesões no labirinto (Murofushi et al, 2003). Embora os dados anatômicos raramente estejam disponíveis, se a tecnologia de diagnóstico melhorar no futuro, pode ser necessário alterar a definição de "neurite vestibular".
Tanto a neurite vestibular como labirintite raramente são dolorosas, e quando existe dor, é particularmente importante para começar o tratamento rapidamente, pois pode haver uma infeção bacteriana ou infeção tratável de herpes.
Os sintomas de neurite vestibular e labirintite normalmente incluem tontura ou vertigem, desequilíbrio. ou desequilíbrio e náuseas. Agudamente, a tontura é constante. Depois de alguns dias, os sintomas são muitas vezes apenas precipitados por movimentos bruscos. A súbita mudança de direção da cabeça é o mais comum "problema" de movimento. Enquanto que os pacientes com estes transtornos podem ser sensíveis à posição da cabeça, geralmente não se relacionam com o movimentar a cabeça para cima e para baixo (como na VPPB), mas apenas se o paciente estiver deitado ou sentado.
Estudo patológico documentado de um único paciente encontrou achados compatíveis com uma infeção viral isolada do gânglio de Scarpa (o gânglio vestibular). Houve perda de células ciliadas, "epitelialização" das manchas utriculares, e redução da densidade sináptica no núcleo vestibular ipsilateral (Baloh et al, 1996). Apesar da patologia limitada que sugere o envolvimento de todo o nervo vestibular, não há evidência razoável de que a neurite vestibular muitas vezes poupe parte do nervo vestibular.

Índice dos artigos relativos a Labirintite
POSTAGENS POPULARES

ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL